Idas e Vinhas Wine Club

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Enodicas: Quais vinhos são necessários decantar?

Decante Peugeot
Decanter Peugeot

Hoje o mercado oferece as mais variadas marcas e modelos de decanters para os apreciadores do vinho. Desde os mais simples feitos de vidro aos mais sofisticados feitos do mais puro cristal. Marcas como Strauss, Spieguelau, Riedel e Peugeot desfilam nas lojas especializadas. Já os modelos são os mais variados e inusitados possíveis (muitas vezes, ao meu ver, são mais decorativos do que úteis e práticos).




Ok, você já tem o seu novo brinquedo em casa e ai eu acredito que você já deva ter se perguntado:
- E agora? Quais vinhos devem ser decantados? Ou melhor, a degustação será mesmo mais agradável?

Bem amigos, “Idas e vinhas” vai procurar ser o mais objetivo e claro para ajudá-los a desvendar este “mistério”.

Vamos lá...

O decanter tem basicamente três finalidades:
1.    Arejar o vinho: fazer com que os aromas atinjam um estágio de evolução equivalente ao de alguns anos de envelhecimento em garrafa. Os aromas se abrirão proporcionando uma melhor sensação olfativa durante a degustação.

O arejamento do vinho feito com o decanter é muito mais rápido e eficiente do que simplesmente abrir a garrafa e deixar o vinho respirar pelo gargalo já que a superfície de contato do vinho com o ar é um tanto quanto reduzida.

2.    Decantar o vinho: é um processo de limpeza do vinho. Deve ser feito com os vinhos mais velhos pois estes formam sedimentos naturais que se depositam no interior da garrafa. Estes sedimentos nada mais são do que os taninos polimerizados.

3.    A terceira finalidade do decanter pode ser a mais comum e utilizada por todos: enfeite, afinal de contas, é uma peça muito bonita, ideal para decorar a adega ou a cristaleira.

Costuma-se decantar vinhos jovens de muita estrutura, para que possam se abrir e mostrar as suas melhores qualidades. Neste caso, devem ser decantados com alguma horas de antecedência, permitindo que o vinho fique um bom tempo em contato com o ar dentro do decanter.

Tintos como Bordeaux, Barolo, Hermitage, Brunello, Barbaresco, do Douro e da Bairrada encorpados, Ribera del Duero e os mais encorpados e potentes do novo mundo, por exemplo, ou até mesmo os brancos muito encorpados como o Hermitage blanc podem ser decantados.

Tintos que apresentam depósito também devem ser decantados cuidadosamente, para evitar que a borra se misture com o vinho. Se forem vinhos muito envelhecidos, o ideal seria decantá-lo logo antes de servir, pois o contato prolongado com o ar pode fazer com que ele perca as suas ricas fragrâncias e a oxidação ocorrerá mais rapidamente pois estes vinhos já atingiram um equilíbrio mais frágil (neste caso, a decantação é apenas para separar as borras). Já os vinhos do dia a dia não necessitam ser decantados pois são feitos para serem bebidos ainda jovens e dificilmente apresentam algum sedimento.

Ah, e ao decantar um vinho que contenha sedimentos, jamais jogue fora a borra e o restinho de vinho. Dê a ele um nobre destino, utilizando-o em um belo molho para acompanhar massas ou carnes vermelhas. Você não vai se arrepender!

Etienne Meneau decanter
Você pagaria €2000 por qualquer um deste dois modelos?



Fontes consultadas para este post:
Amarante, José Osvaldo Albano do
Os Segredos do Vinho para Iniciantes e Iniciados

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...