Idas e Vinhas Wine Club

domingo, 7 de abril de 2013

Kuentz-Bas Auxerrois 2010 – Vinho branco da Alsácia



Idas e Vinhas

Passeando pelos stands do Festival Françah! Culture et Gastronomie que aconteceu em Março no Shopping Leblon, nos chamou a atenção um stand com as charmosas garrafas de vinho da Alsácia. 
Idas e Vinhas

O formato alongado e fino da garrafa é característico dessa região francesa muito próxima da fronteira com a Alemanha e famosa por seus vinhos brancos aromáticos feitos de uvas não muito convencionais. Outra particularidade é que os rótulos trazem o nome da uva em destaque, contrariando a tradição francesa de indicar apenas o produtor.

Após alguns minutos de simpática e animada conversa com pessoal do stand (da importadora Alafia, especializada em vinhos orgânicos e biodinâmicos de produção limitada), fomos apresentados ao Jeremy Bas, cuja família produz o vinho que compramos. Além do entusiasmo do Jeremy ao me explicar as características dos vinhos da família, fiquei intrigada com a uva Auxerrois, que não conhecíamos.

Jeremy representa a oitava geração de uma família (Kuentz-Bas) que se dedica à produção de vinhos desde 1795. A propriedade se localiza na cidade de Husseren Les Châteaux , na região mais alta de toda a rota do vinho da Alsácia e a 8km de Colmar. Essa altitude e as características do solo (argiloso e calcáreo) conferem ao vinho mineralidade e uma acidez bastante viva. Grande parte da propriedade está localizada em dois vinhedos gran cru – Eichberg e Pfersigberg.

Idas e Vinhas

Interessante é que o Jeremy é super simples, e depois descobrimos que a Kuentz-Bas é um produtor super tradicional e conceituado, citado em guias especializados e sites como a Wine Spectator!

Vamos ao vinho?
A Trois Chateux é a linha de vinhos biodinâmicos da Kuentz-Bas, feitos exclusivamente de uvas plantadas em vinhedos próprios seguindo os princípios da Biodinâmica desde 2004. São certificados desde 2007 pela Agência Francesa de Desenvolvimento e Promoção da Agricultura Biológica (AB – Agriculture Biologique) e desde 2008 pela Demeter.
A Auxerrois é muitas vezes citada como sendo a Pinot Blanc. No entanto, são muito diferentes. A Auxerrois é bastante aromática, com notas de especiarias, enquanto a Pinot Blanc é conhecida como sendo pouco aromática.
A maneira de vinificar o Auxerrois Alsace Trois Chateaux é muito interessante, totalmente natural: as uvas são delicadamente prensadas por 8 a 16 horas, para extrair os mais finos aromas. O mosto é então decantado e depois transferido para os tanques de fermentação. A fermentação é natural, sem adição de leveduras comerciais, e se desenvolve por 6 a 8 meses. Ao cessar a fermentação, os vinhos são estabilizados em suas próprias borras e depois filtrados e engarrafados.
Notas de degustação:
De bela cor amarelo-palha com reflexos dourados. No nariz, é franco, amplo e fragrante. Percebemos notas de flores brancas (jasmim e flor de laranjeira), pêssegos, funcho, mel, sal e uma mineralidade bastante presente. Em boca é bastente fresco, com médio corpo, acidez e álcool bastante equilibrados. Final longo e muito agradável. Ótima surpresa!
Nossa nota: 89. Nota WS: 88. Um vinho muito bom, de qualidades especiais.

Idas e Vinhas

2 comentários:

  1. A faixa de temperatura para consumo dos vinhos brancos geralmente varia entre 4°C e 10°C. Qual foi a temperatura na degustação?

    ResponderExcluir
  2. Olá Felipe!
    Vinhos brancos de médio corpo podem ser degustados a temperaturas um pouco mais altas (até 12°C). Nesse caso, como o Kuentz-Bas tem estrutura, preferimos degustar a 12°C para percebermos melhor os aromas.

    Abraços!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...