Idas e Vinhas Wine Club

sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Vinhedos no Paraíso? Sim, e é época da colheita!

www.idasevinhas.com.br

Mudanças climáticas, globalização, busca de novos negócios, espíritos inquietos e inovadores... são muitos os fatores que estão redefinindo as fronteiras do Vinho. Imaginem então vinhos sendo produzidos em um verdadeiro paraíso tropical!

Esse é o caso da Vin de Tahiti, do Domaine Dominique Auroy. Localização? Em pleno coração do Pacífico Sul, no arquipélago de Tuamotu, na Polinésia francesa. A região, com superfície seca de 4200 km2, abrange mais de uma centena de ilhas e atóis, e o continente mais próximo fica a quase 5000 km de distância!

A escolha do que seria o local ideal para as vinhas iniciou em 1992 com testes nos 5 arquipélagos, até que em 1997 foi iniciado o plantio de 3 hectares no atol de Rangiroa. E é nesse atol que hoje a vinícola conta com 6 hectares e uma produção de 30 mil garrafas/ano.

www.idasevinhas.com.br





Imaginem a aventura que deve ter sido até aqui, dadas as condições singulares de toda a operação, desde o manejo das vinhas até a comercialização do vinho!


www.idasevinhas.com.br

Auroy, empresário francês, iniciou os experimentos com mudas trazidas da Europa. Mais tarde, sua equipe (incluindo o enólogo Sébastien Thépénier) desenvolveu suas próprias mudas, se dedicando a aprender a manejar o solo de coral - determinante do terroir local e responsável pelo caráter único dos vinhos - minerais, intensamente aromáticos e frescos.

Os desafios são muitos, desde a descoberta das melhores técnicas para manejar vinhedos que produzem até 3 colheitas por ano, em um verão sem fim, até o transporte das uvas por lancha para a bodega, sem mencionar a logística para a distribuição dos vinhos. Hoje possuem representantes comerciais na Nova Caledônia (outra ilha da Polinésia a alguns milhares de quilômetros a Oeste, na direção da Austrália), França, Alemanha, Bulgária e Luxemburgo.

Outro desafio foi a consolidação das práticas orgânicas de produção, e, desde 2016, as biodinâmicas, seguindo o movimento de muitas vinícolas francesas.
www.idasevinhas.com.br

Quanto aos vinhos, são produzidos 4 rótulos: dois brancos, um rosé e um vinho de sobremesa. As castas plantadas são a Carignan rouge e as uvas de mesa Italia e Muscat de Hambourg.

Aos enófilos viajantes e destemidos, uma boa notícia: a Vin de Tahiti recebe visitas na Cave de Rangiroa! O programa de 2019:

De 1° de janeiro a 31 de maio e de 01 a 31 de Dezembro: segundas, quartas e sextas;
De 1° de junho a 30 de novembro: de segunda a sábado.
Horário de início: 17h  Duração: 1 hora
Reservas: rangiroa@vindetahiti.pf

E você, leitor? Já visitou a Vin de Tahiti ou outro local inusitado do maravilhoso mundo do vinho? Conta pra gente!

Fontes para o post:
www.winespectator.com.br
www.vindetahiti.com (fotos obtidas no site)

2 comentários:

  1. Demais! Tem os nomes dos rótulos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Obrigada pelo comentário!
      São 2 brancos secos: BLANC DE CORAIL e CLOS DU RÉCIF;
      Um rosé: ROSÉ NACARAT;
      e um branco doce: BLANC MOELLEUX.
      http://www.vindetahiti.com/

      Abraço!

      Excluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...