Idas e Vinhas Wine Club

domingo, 7 de junho de 2015

Enocuriosos... Viñas de Chile - Viu Manent

Idas e Vinhas


Visitamos a Viu Manent no mesmo dia em que estivemos na Montes. O taxista foi nos buscar após o almoço e partimos para nosso próximo passeio (a cerca de 9 km dali - ou 6,2 km se você parte do centro de Santa Cruz). O trajeto percorrido entre as vinhas era muito bonito, sobejado de oliveiras e lindos ciruelos (pés de ameixa - que, àquela ocasião, estavam todos floridos).

A Viu Manent é uma vinícola familiar. A propriedade é muito bonita e a sede tem ares de casa de fazenda antiga. Aliás, os "ares de fazenda" foram recentemente reforçados pelos proprietários quando decidiram criar uma infraestrutura para oferecer cavalgadas, aulas de equitação, campeonatos de polo, passeios de charretes etc, para crianças e adultos. Isso também serviria como uma alternativa para manter a propriedade sempre cheia de visitantes – mesmo nos períodos de entressafra, quando a procura por "enopasseios" é bem menor. Pelo que vimos, funciona bem. A propriedade estava cheia de famílias passeando a cavalo, crianças brincando e um grande grupo aproveitando ainda o almoço (a vinícola também possui um belo restaurante e uma cafeteria).

Fomos recebidos pelo sério, porém muito gentil, José. A primeira coisa que disse quando se certificou de que éramos brasileiros foi: "eu mi chamu Jusé" (num esforço fonético para pronunciar da mesma forma como nós, brasileiros - ao menos os do sudeste - pronunciaríamos) - em vez de apresentar-se "Rossè", como seria de se esperar.

Não pagamos por um tour privado, mas acabamos fazendo o passeio só nós dois porque não havia mais pessoas agendadas para aquele horário. Nosso guia começou o tour nos conduzindo a uma sala com muitas fotografias (antigas e atuais) que mostravam as diversas gerações da família desde os fundadores da vinícola, bem como banners que ilustravam, dentre outras coisas, os vários tipos de solo e sua relação com a qualidade das uvas cultivadas em cada um deles. Dali, seguimos acomodados numa bucólica charrete até a edificação onde as uvas são vinificadas. 

Idas e Vinhas

Foi uma visita muito interessante e bem diferente das que havíamos feito no Chile até então. Aqui pudemos ver um pequeno laboratório no qual enólogos faziam, naquele momento, os mais variados testes. Aliás, tivemos a oportunidade de provar um "vinho" (ainda “em processo”) extraído de um dos tonéis (exatamente o "vinho" que os enólogos estavam analisando). Definitivamente... não era bom! Mas foi muito bacana poder conhecer a bebida antes de pronta, imaginar (ou tentar imaginar) como ela iria ficar ao fim de todas as etapas e ver um pouco o trabalho dos enólogos que já começam a fazer controles e buscar equilíbrio entre acidez, corpo, açúcares desde um estágio ainda mais precoce que aquele - inclusive fazendo repetidas provas como a que fizemos (coitados!).

Idas e Vinhas

No caminho de volta, José nos falou um pouco sobre a edificação da propriedade, que precisou ser praticamente toda reconstruída após o terremoto devastador de 2010 (que atingiu 8,8 pontos na escala Richter!), e nos explicou que, após ocorrida a catástrofe, todas as novas construções erguidas no Chile tiveram de atender a uma série de normas preventivas e de segurança e a regulamentos técnicos antissísmicos e que, portanto, estávamos agora num prédio seguro.

Ali na sede, José nos conduziu à sala de degustação onde provamos 5 vinhos, nesta sequência: Secreto Sauvignon Blanc 2013, Estate Collection Reserva Merlot 2013, Secreto Syrah 2012, Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2012 e Single Vineyard San Carlos Malbec 2012. A orientação da degustação, aqui, nos pareceu menos rica que nas duas outras vinícolas que havíamos visitado antes (veja aqui e aqui) – não sabemos se pelo adiantado da hora (pois estávamos no tour do último horário) ou se por um certo cansaço que o José já demonstrava àquela altura. O fato é que não nos foi dado muito tempo para perceber as notas olfativas e sensações "em boca" de cada vinho, embora o José até fizesse as considerações a respeito... Também não chegamos a ser surpreendidos por nenhum dos vinhos (positiva ou negativamente).
Idas e Vinhas

Os vinhos

Acabamos comprando dois rótulos: o Gran Reserva Cabernet Sauvignon (que, aberto em casa, não nos agradou muito) e o Single Vineyard Syrah El Olivar Alto (este sim, mais simpático ao nosso gosto).
É "mais passeio" ou é "mais vinho"?
É mais passeio. Não nos agradamos "em cheio" de nenhum dos vinhos que provamos. Já a visita à propriedade e à edificação onde as uvas são vinificadas, o fato (curioso) de poder provar o "vinho" antes de pronto (o que, apesar de horrível, é muito instigante), e de poder ver alguns enólogos trabalhando no laboratório, contemplar a natureza em volta e a nova edificação (construída idêntica à original que ruiu com o terremoto), enfim: o passeio, o lugar, as histórias (sem contar a possibilidade de almoçar por ali e/ou andar a cavalo), tudo isso nos pareceu ser o grande diferencial e o ponto alto da Viu Manent. É, sem dúvida, um excelente lugar para curtir um lindo dia ao ar livre.

Enocuriosos
*fotos de Dagô e Simone

Gostou dessa postagem? Confira o post sobre a visita anterior desta série aqui.

Um comentário:

  1. Quer seguir nos acompanhando nessa viagem? Ela continua por aqui, ó:
    http://www.idasevinhas.com.br/2015/06/enocuriosos-vinas-de-chile-casa.html

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...