Idas e Vinhas Wine Club

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Existem taninos em vinhos brancos?


www.idasevinhas.com.br


Recentemente, jantando com amigos, um deles comentou que percebia taninos (ainda que discretos) no vinho branco e perguntou se isso é possível, já que sempre ouviu que isso era uma exclusividade dos vinhos tintos. A dúvida é muito interessante e mais comum do que se pensa, e surge quando provamos pela primeira vez um branco que nos parece tânico.

O fato é: todas as uvas possuem taninos. Na realidade, muitos alimentos possuem taninos, como a banana e caqui ainda verdes, sementes de romã, frutas silvestres, e até o chocolate!

Uma vez que os taninos presentes nos vinhos vêm principalmente das cascas, sementes e engaço das uvas, nos brancos irão aparecer em muito menor quantidade (muitas vezes em níveis imperceptíveis ao nosso limiar de detecção) em função do processo de vinificação da maioria dos vinhos brancos.

Normalmente, para se elaborar um vinho branco, os cachos são desengaçados e o suco é separado das cascas e sementes imediatamente após o rompimento das uvas, logo no início da prensagem. Já na vinificação dos tintos, o contato entre o suco e as cascas é muito maior e mesmo desejado, no processo chamado maturação, promovendo a absorção de taninos pelo vinho.

As barricas de carvalho (onde alguns vinhos - tintos e brancos - são fermentados e/ou amadurecidos) também transferem taninos ao vinho, mas de forma bem menos intensa. Por isso, mesmo um vinho branco com passagem em barricas (mesmo que longa) pode não ser tânico.


www.idasevinhas.com.br

Dada a delicadeza, que é a essência dos brancos, não apresentar taninos pode ser uma boa característica, pois muitas vezes os percebemos como amargor, e de forma mais pronunciada que nos tintos.

Claro que há exceções a essa regra geral. Há enólogos que optam por alguma maceração controlada nos brancos, para conferir estrutura e características sensoriais específicas. A primeira vez que observamos isso foi na visita à vinícola Aquitânia (Chile, veja aqui como foi).

Outra exceção clássica são os vinhos laranja, que vêm adquirindo muitos apreciadores na mão de produtores como o ícone italiano Gravner. Nesse tipo de vinho, as uvas podem macerar em suas cascas e sementes desde alguns dias até anos, dependendo da proposta do enólogo. Muitas vezes os vinhos laranja se apresentam, além de tânicos, com aromas e sabores oxidados resultantes do processo de vinificação, o que os faz serem vinhos controversos, do tipo "ame-o ou deixe-o".


www.idasevinhas.com.br


E você? Já provou um vinho branco com taninos perceptíveis? Conta pra gente!

8 comentários:

  1. Em Portugal muitos produtores fazem vinho branco com maceração e alguns mesmo vinhos laranja (ou de Curtimenta).
    Cada vez há mais apreciadores desse tipo de vinho branco, com taninos ou mesmo oxidados.
    Eu sou um deles. :-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carlos! Obrigada pela informação! Apreciamos muito o vinho e a cultura vitivinícola portugueses, que vem inovando e se redescobrindo.
      Grande abraço!

      Excluir
  2. Excelente artigo, didáctico e simples, obrigado

    ResponderExcluir
  3. Obrigada, Joaquim! É muito bom receber retorno das postagens. Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Existem muitos vinhos portugueses vinificados pelo método tradicional de curtimenta. Menciono um que provei à poucos dias e que me fez viajar no tempo. Camolas Cobaia 03 Baga Tinto 2016 da Adega de Camolas, junto ao parque Natural da Arrábida. Setúbal. A Casta Baga é tinta, responsável pelos melhores vinhos da Bairrada. Tem uma cor Rubi violeta, com estilo gastronómico.
    Sou do tempo que nas aldeias se fazia vinho em Ânforas de barro e cimento coo "processo de curtimenta", infelizmente Portugal teve de acompanhar as novas tendências ditadas pelo mundo globalizado. Actualmente existe a preocupação de regressar às origens, resgatar os saberes, costumes, a identidade do povo Lusitano.
    Como exemplo cito também o Vinho Curtimenta Alvarinho 2014 do Anselmo Mendes com uma pontuação Parker 92.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bacana o seu comentário! Realmente, Portugal tem uma riqueza imensa que deve ser resgatada, ressaltando suas características únicas.

      Excluir
  5. Bom dia! Cobaia 03 é produzido com a casta Fernao Pires (Casta Branca) e pelo metodo tradicional de curtimenta. O Cobaia 01 esse 100% baga (Tinta) e não foi feito atraves de curtimenta. Cumprimentos Ivan Portela (ivan.portela@ptwine.pt)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perdão O Cobaia 01 foi feito atraves de curtimenta em cubas de inox.

      Excluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...